GRUPO DE ESTUDOS RECEBE R$ 822 MIL EM BOLSAS NO EDITAL PET SAÚDE EQUIDADE.

CCS


atualizado 3 semanas atrás


Pedro Livoratti

Agência UEL

O Grupo de Estudos Gênero, Equidade e Saúde (GES), ligado ao Programa de Pós-graduação em Saúde Pública, do Centro de Ciências da Saúde (CCS), foi contemplado com R$ 822, 8 mil reais em bolsas no edital do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde – Pet Saúde Equidade (2024–2026), desenvolvido em parceria com a Autarquia Municipal de Saúde de Londrina. A UEL foi contemplada em abril passado, juntamente com outras 150 Universidades, para o desenvolvimento de integração ensino-serviço-comunidade, aprimorando conhecimento dos profissionais da saúde, bem como dos estudantes dos cursos de graduação. Os recursos são do Ministério da Saúde (MS) e Ministério da Educação (MEC), coordenados por meio da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES).

Segundo a coordenadora do GES, professora Marselle Nobre de Carvalho, do Departamento de Saúde Coletiva (CCS), o Pet Saúde Equidade está na fase final de seleção de participantes. A equipe será dividida em grupos de estudantes de graduação, tutores (professores), preceptores e orientadores de serviço (pessoas da comunidade externa, com experiência na área de movimentos sociais). Após o treinamento, caberá à equipe do Pet Saúde atuar nas unidades de Londrina com ações, intervenções e debates relacionados a temas relacionados à diversidade e igualdade de gênero, inserção social de deficientes e direitos da pessoa negra, indígena e população LGBTQIAPN+.

De acordo com a coordenadora, o foco das ações serão os trabalhadores da área da saúde, especialmente as mulheres que correspondem à grande maioria dos recursos humanos que atendem nas unidades básicas. O PET-Saúde Equidade está na 11ª edição e contempla projetos de ações de educação pelo trabalho para a saúde, relacionando o Sistema Único de Saúde (SUS) e as Instituições de Ensino Superior (IES).

Professora Marselle Nobre de Carvalho. Objetivo da ação é contribuir com formação de estudantes e buscar melhores condições de vida às trabalhadoras do SUS (Foto: Pedro Livoratti/Agência UEL).

O objetivo é contribuir para a formação de estudantes, buscando melhorar as condições de vida das trabalhadoras do SUS, considerando equidade de gênero, identidade de gênero, sexualidade, raça, etnia e deficiências, em conformidade com o Programa Nacional de Equidade de Gênero, Raça e Valorização das Trabalhadoras no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

A professora reforça que as ações, de acordo com o edital, serão desenvolvidas em três eixos distintos: Eixo 1 – Valorização das trabalhadoras e futuras trabalhadoras no âmbito do SUS, Gênero, Identidade de Gênero, Sexualidade, Raça, Etnia, Deficiências e as interseccionalidades no trabalho na saúde; Eixo 2 – Valorização das trabalhadoras e futuras trabalhadoras no âmbito do SUS, saúde mental e as violências relacionadas ao trabalho na saúde; e Eixo 3 – Acolhimento e Valorização às trabalhadoras e trabalhadores e futuras trabalhadoras e trabalhadores da saúde no processo de maternagem, acolhimento e valorização de mulheres, homens trans e gestantes.

Cronograma

O PET-Saúde Equidade será desenvolvido por um período de dois anos. O resultado final edital deve ser publicado no dia 28 de junho, com início das atividades ocorrendo a partir do próximo mês, com o treinamento dos estudantes e demais membros. A equipe será formada por acadêmicos de graduação das áreas de Enfermagem, Medicina, Psicologia, Serviço Social, Odontologia, Farmácia, Nutrição Jornalismo, Relações Públicas e Ciências Sociais.

Leia também