Projeto inédito amplia atendimento em Cardiopatia Congênita

Hospital Universitário


atualizado 10 meses atrás


A cardiologista pediatra Márcia Thomson, da Hemodinâmica do HU/UEL, iniciou o projeto de Cardiopatia Congênita no Adulto, a fim de ampliar os cuidados com os pacientes da infância até a fase adulta. Em parceria com os cardiologistas Cezar Mesas e Daniela Vasconcellos, responsáveis pelo Serviço de Ecocardiograma, o projeto visa, segundo Márcia, unir pela primeira vez “o melhor dos dois mundos”.

‘‘O meu mundo é atender as crianças portadoras de Cardiopatia Congênita. Essas crianças nascem com essa doença e são acompanhadas por nós, pediatras. Entretanto, conforme elas vão crescendo, muitas vezes deixam de ir ao médico. Agora, com esse projeto, nós vamos unir os dois mundos, isto porque o mundo do doutor Cezar Mesas é acompanhar os adultos portadores da Cardiopatia Congênita. Portanto, vamos ampliar os cuidados com o paciente, com profissionais que entendem e atuam em cada fase da vida humana’’, explica a cardiologista.

O projeto, voltado para o tratamento dos defeitos na estrutura do coração, fornece o direcionamento na saúde e qualidade de vida em outros momentos do paciente. Os médicos analisam e alertam os cuidados em cada etapa da vida desses pacientes, como na gravidez, e Thomson avalia e orienta quanto ao risco de uma gestação. Além disso, direciona para um planejamento familiar.

“Nosso objetivo é promover a saúde do paciente com abordagens precoces dos fatores de risco para doença aterosclerótica; orientar quanto aos benefícios e direitos via Serviço Social; estimular a atividade física dos portadores de Cardiopatia Congênita, em parceria com o curso de Educação Física da UEL; estimular os residentes de cardiopatia e pediatria a participarem do projeto’’, afirma Márcia.

O projeto iniciou com 60 vagas atendendo pacientes acima de 16 anos dos ambulatórios de Cardiopediatria. Na segunda fase, o projeto tem o objetivo de atender pacientes portadores de Cardiopatia Congênita do Ambulatório de Cardiologia. Na terceira fase, a intenção é abrir para o público. A Cardiopatia Congênita no Adulto é um projeto de parceria entre a Cardiologia Pediátrica com o departamento de Cardiologia, ambos do HU.